sexta-feira, 1 de junho de 2007

Cuncunca

Atenção, aviso à navegação internético-blóguica: só me apercebi da lamechice deste post depois de o ter escrito. No fim já não tive paciência de o deslamechar. Desculpem!

Cuncunca é o feminino de cuncunco.
Cuncunco é a palavra que a Carolina arranjou para designar tudo o que não sabe o que é, ou tudo o que o sono e a falta de paciência a fazem não saber o que é.
Cuncunco isto, cuncunco aquilo.
Cuncunca é um dos nomes que eu lhe chamo, que a sua falange de apoio e fãs lhe chama. Um dos, porque há muitos, muitos outros nominhos para a minha Sobrinha.
Como hoje é o dia da Criança, (pelo menos aí, cá celebra-se a 12 de Outubro – fiquei hoje a saber), não queria deixar passá-lo em branco, mas na verdade o que eu tenho para dizer é um pouco ao jeito de Carolina com sono… “cuncunco!”
Este cuncunco não é bem de quem não quer dizer nada, mas de quem quer dizer alguma coisa, mas não consegue saber bem o quê.
Que hoje já estive no Pavãozinho a fazer chuva de papel, a cantar a Baleia que é amiga da Sereia, a fazer o Burrinho que vai para a feira, a fazer de elevador, a dar almoço, a dar as mãos numa prece (uma coisa que foi um bocado bizarra, meteu lágrimas e tudo – mas não da minha parte, por uma vez na vida!), a fazer muitas coisas.
Que hoje, em conversa com as minhas irmãs, já nos lembrámos da Pequenina McCann, do Rui Pedro e de tantas outras crianças a quem não deixaram deixar rasto.
Que hoje e em vários outros dias passei no passeio por miúdos infímos, que se enrolam nas camisolas para poderem dormir, que a dormir dão dó, que acordados são o cartão postal de alguma da violência que dá fama a esta cidade.
Que hoje, como em todos os dias desde há quase 3 anos, tenho uma criança perto de mim, comigo, a lembrar-me sempre e a assombrar-me com a maravilha constante que a Vida pode ser.
Não há nenhuma conclusão especial para isto tudo, excepto que hoje de várias formas já passei por muitas camadas do que é o Mundo. As crianças no Mundo.
Desculpem o momento, mais parece a prece em que fui induzida (em erro, totalmente!) hoje de manhã.
De qualquer forma, só quero deixar beijinhos para as minhas crianças, (são sobretudo primos!), e um beijinho do tamanho do Amor que sinto pela Carolina à Pulita Laranjita, à Nani, à Piki, que, calha bem!, são todas uma e a mesma, a minha Sobrinha Cuncunca!
Bauuu! Bauuu! Bauuu! (é um sino a tocar de felicidade, tal como os da Basílica da Estrela tocaram no dia em que ela nasceu!)

8 comentários:

Mariana disse...

Eu não diria melhor... e também me emocionei!
Devo acrescentar que a Cuncunca também usa cuncunco para quando não quer responder. O pai del, por exemplo, também já foi cuncunco.
Beijinhos à tia mais nova da Cuncunca mais linda do mundo e arredores!

Billy disse...

Que lindo... como eu gostava de escrever assim!

PTuny disse...

Só uma Tia de mão cheia e de coração muito quente, uma TIA com letra grande e uma Bau maior que todo o carrilhão de Mafra, mais o da Basílica da Estrela, ou o sino grande da Charola do Convento de Cristo em Tomar podia escever umas palavras tão lindas!!! Um beijinho do PT

Ana disse...

Que post tão lindo!!!! Maiss do que merecido tendo em conta o lindo e maravilhoso objecto... Muitos beijinho da Cuncunca Mãe

alcinda disse...

Com um considerável atraso aqui estou! Hoje,dia 11 de Junho, finalmente consegui aceder,e,claro gostei do que vi.Escreve mais!

alcinda disse...

Estava de tal modo satisfeita por finalmente ter acedido ao blogue que até errei a pontuação! De todo o modo a ideia percebe-se...

Ana disse...

E a menina não escreve mais?

alcinda disse...

Faço minhas as palavras da Ana!
Então agora que já tenho acesso não escreves mais...?
Vá lá conta-nos mais das tuas impressões...
bjs